sábado, 24 de maio de 2014

Eu sou porque você é

Sawabona

Ubuntu é um pensamento (ética ou filosofia) que enxerga a a existência humana, em sua essência, como fruto do compartilhamento dessa mesma existência. "Eu sou porque você é": só me reconheço como ser humano porque o outro compartilha sua humanidade comigo.

Penso eu, no meu limitado conhecimento, que foi esse instinto que proporcionou ao ser humano sobreviver e construir a civilização, até onde chegamos. Ainda assim, acredito que isto está adormecido ou amputado em boa parte da humanidade.

Um exemplo: a maior parte das críticas a programas de transferência de renda, como o Bolsa Família, recai sobre um hipotético prejuízo particular e, assim, a pessoa deixa de enxergar o benefício coletivo. Pessoas comendo melhor trabalham melhor e (pasmem, comerciantes críticos do Bolsa Família!) acabam por consumir mais. UBUNTU: a humanidade é compartilhada, o benefício é compartilhado.

Outro exemplo: famílias que abrem mão da sinceridade e do amor em nome do conceito patriarcal de família, já há muito descabido. Ter um filho para fazer jus a um casamento, manter-se casad@ para honrar esposo e esposa, ainda que sua aglomeração (diferente de união) seja dolorosa, prejudicial, violenta, amarga. É melhor ter uma família de amigos do que um bando de cadeados humanos. UBUNTU: não posso deixar de ser "eu" para ser "você" ou "nós".

Eu poderia ainda mencionar os cidadãos que se indignam por seu empregado ou o porteiro do condomínio possuírem carro. Um estupro mental ao senso de UBUNTU. Mas quero acreditar que a maioria aqui entende bem o quanto isso é absurdo.

UBUNTU: viver o individual, sabendo que sou um indivíduo no meio do coletivo humano, que me desenha como tal, e o qual eu também desenho.

Fábio Pedro Racoski

0 comentários:

Postar um comentário