Páginas

domingo, 6 de outubro de 2013

Quero um amor anarquista

Quero um amor anarquista
daqueles que não têm pista,
quero um amor liberdade
que seja nossa igualdade.

Eu quero um amor sem nome,
sem tempo, poder ou fome.
Quero querer todo dia
a paixão da nossa alegria.

E que as dores e o gozar
sejam nossos como o ar:
corram livres pelos beijos
livres em nossos desejos.

Fábio Pedro Racoski

Um comentário:

  1. E eu, mais modesta, só queria "a sorte de um amor tranquilo, com sabor de fruta mordida" e tal...

    ;)

    Beijo, Fábio.

    ResponderExcluir