Páginas

domingo, 22 de setembro de 2013

Mazelas

enquanto eu carregava
minha vida
sem graça
nos ombros
da compaixão alheia,
nada era belo
vindo do espelho.

enquanto eu andava
pelas sombras
dos muros
da minha solidão,
nada era verdade
no beijo alheio.

enquanto eu vivia
no meu mundo
de medos
e angústias,
nada era bom
no seu meio.

mas os ombros cansaram,
os muros caíram,
o mundo se desfez,
e eu me vi observável,
possível,
real,
seu.

Fábio Pedro Racoski

Um comentário: