Páginas

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Maicon

E agora, Maicon?
A vida acabou,
a festa chegou,
o sol não raiou,
a luz lhe ofuscou.
E agora, Maicon?

E agora, piá,
menino, guri?
Você que tem nome,
que zomba dos nomes,
que apanha dos homens,
você que faz rimas,
que fica, engravida,
agrava a vida,
e agora, Maicon?

Está sem casa,
está sem rua,
está sem escola,
está sem leito,
já não pode curtir,
já não pode viajar,
gozar já não pode,
a noite queimou,
o dia não vem,
o ônibus passou,
o tempo não veio,
não veio seu sonho
e tudo ruiu
e tudo dançou
e tudo ocultou,
e agora, Maicon?

E agora, Maicon?
Seu brilho nos olhos,
seu instante de ódio,
sua miragem cinza,
sua playlist,
seus gadgets de ouro,
sua roupa de baile, sua inconsequência,
seu tesão - e agora?

Com o controle na mão
quer mudar de canal,
não existe canal;
quer morrer de amor,
mas você secou;
quer ir pra Goiás,
não pode voltar atrás,
Maicon, e agora?

Se você ouvisse,
se você sentisse,
se você dançasse
a dança fluminense,
se você acordasse,
se você parasse,
se você morresse...
Mas você não morre,
você não vive, Maicon!

Sozinho na multidão
qual bicho-homem,
sem o Livro Sagrado,
sem colo de afeto
pra se aconchegar,
sem motocicleta
que fuja a fumaça,
você dança, Maicon!
Maicon, que música é você?

Fábio Pedro Racoski

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Distanciofilia


pegando a estrada, sumindo no horizonte
levando na mala a saudade pra bem longe
só quero saber aonde está
aquele sorriso tão lindo que me fez mudar o lugar.

buscando o abraço além do horizonte
levando mil beijos com gosto de romance
não quero saber se vou chorar
só quero um abraço apertado quando em você eu me encontrar.

eu quero você, não importa onde for
quero com você descobrir aonde vai o amor
quero me perder, vem agora e deixa eu te abraçar
me veja em você, minha história toda pra te dar.

Letra e música: Fábio Pedro Racoski

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Apenas mais uma vez

apenas mais uma vez
eu tinha me perdido de mim mesmo.
apenas mais uma vez
eu tinha desistido de tentar.
apenas mais uma vez
eu tinha mantido o lamento inútil.
apenas mais uma vez
eu tinha me fechado em mim mesmo.

mas eu encontrei você
e foi como se todas as vezes,
todos os tropeços,
me levassem
até onde estamos.

apaixonadamente
juntos.

Fábio Pedro Racoski