quinta-feira, 26 de abril de 2012

Corrida vertical

as ogivas
ogivais
apontadas
para o meu quarto.

os mísseis
missionários
apontados
para os meus olhos.

as flechas
fedorentas
flechando
minha cuca
caduca
e tudo cai
aqui para cima
numa cor
de grito
de desespero
que rasga
o espaço
tempo.

maluco
nunca
mais.

Fábio Pedro Racoski

#microconto

De repente, perdeu a razão. E tudo ficou lógico, simétrico, sem vida.

Fábio Pedro Racoski

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Família

família, por que se preocupar?
mas se não se preocupar,
como caminhar?

bate e rebate,
vai e vem,
chora e ri,
briga e abraça,
abraça, abraça...

família, por que se preocupar?
mas se não se preocupar,
como caminhar?

você faz tudo errado!
você não faz nada!
vou sumir no mundo!
te odeio!
te amo! te amo!

família, por que se preocupar?
mas se não se preocupar,
como caminhar?

não quero você aqui,
não quero saber mais,
não quero ouvir,
não quero ver,
tudo bem? tudo bem?

família, por que se preocupar?
mas se não brigar, xingar,
saber, querer bem,
como continuar?

Fábio Pedro Racoski

domingo, 15 de abril de 2012

Dorme bem

Dorme bem, eu guardo teu sono,
contigo estou aonde for,
em mãos, em voz e em abraços,
onipresente por amor.

Dorme, meu bem, quero-te bem.
Sonha em paz, certa de encontrar
conforto em mim aos pesadelos
e meu carinho ao despertar.

Dorme, razão da poesia
minha, tão viva, tão intensa,
pois encontrou porto seguro
nessa paixão que é tão imensa.

Fábio Pedro Racoski

Síntese

é sua a voz
que eu quero ouvir.
são seus os lábios
que quero beijar.
é você, nada além
do tudo que é você,
que quero ter
entre os braços
e a quem eu
já me entreguei.

Fábio Pedro Racoski

Chorume

Louvado seja o Chorume!
Louvado seja o Chorume!

O rio de todas as ilusões humanas,
o líquido de todas as futilidades consumistas,
a seiva de todas as mentiras sentimentais!

Louvado seja o Chorume!
Louvado seja o Chorume!

O mar de todas as ejaculações prepotentes,
o alimento de toda a arte do ser humano,
a água benta de todas as crenças.

Louvado seja o Chorume!
Louvado seja o Chorume!

Se há algo que mereça a minha confiança
é o Chorume,
e nada mais!

Cesar Miller de Almeida

terça-feira, 10 de abril de 2012

Meu novo jardim

habilidosas
e cuidadosas mãos
moldam com maestria
meu novo jardim
sem muros.

um jardim florido
de vida e amor,
que agora quer mostrar
a todos
que também é belo.

benditos sejam
os mestres divinos
donos dessas mãos!

Fábio Pedro Racoski

sábado, 7 de abril de 2012

Além-luz

a luz
não é tão rápida
que possa
acompanhar
meu desejo
que rompe
a barreira
do espaço-tempo,
do lugar-comum,
do eu-sozinho,
da pele,
dos músculos,
dos tetos,
das estradas,
dos versos.

Fábio Pedro Racoski

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Pela estrada

a estrada
que cruza
o horizonte
me leva
para tão longe
e tão perto
nos meus
sonhos.

Fábio Pedro Racoski

#microconto

Ele venceu a si mesmo para perder-se nela.

Fábio Pedro Racoski