terça-feira, 25 de dezembro de 2012

#microcontos

De tanto querer agradar os outros, nada lhe agradava.
-----
Seus olhos fechados para o mundo só enxergavam o semblante daquela paixão não vista.
-----
Em passos incertos encontrou o abraço certo.
-----
A dois, vivia meia vida.
-----
Sua segurança era perder o chão com ela.
-----
Entre tantos seres e tantos espaços, a consciência escolheu ser humana.
-----
Não tinha medo das gentes. Temia ser gente no meio da gente.
-----
Escondia tanto sua beleza que todos podiam vê-la, menos ele.
-----
Era um verme, a devorar sua própria felicidade.
-----
Não suportava mais carregar o peso de sua solidão, e ninguém era leve o bastante para ajudá-lo.
-----
Seus olhos a seguiam enquanto seu coração se ofuscava.
-----
Debaixo dos cachos negros, uma beleza em síntese.
-----
O âmbar dos seus olhos a natureza não consegue refletir em valor e beleza.
-----
Sua aula mais valiosa foi ministrada por um professor chamado Solidão.
-----
É tão adorável que seu riso me faz voar.
-----
Não sabia ser-se e, por isso, não sabia dar-se.
-----
Entre luzes, sons e bebidas, uma festa de palavras.
-----
Em seu corpo pequeno, toda a inestimável beleza do ser.
-----
Doa-se para restauração um coração abandonado e empoeirado.
-----
O tempo age inversamente de acordo com as nossas vontades.
-----
Quanto mais pessoas ao seu redor, mais sozinho se sentia.
-----
E aquela sensação de envelhecer sem ainda ter crescido.
-----
Quando ela diz: "em que posso servi-lo?", meu pensamento sussurra: "eu é que quero ser seu servo".
-----
Que energia é essa em teu olhar que faz parar o tempo?
-----
Todo dia é fim do mundo para eles, e todo amanhã é um mundo novo.
-----
De tanto ser humano, esqueceu-se de ser deus.
-----
Todas as vozes cantavam por amor em seu coral de si mesmo.
-----
E somos nós, sempre nós, os culpados por não ter culpa de nada.
-----
Uma cerveja bem amarga pra tirar essa amargura do peito.
-----
Ele sentava-se sozinho numa mesa para quatro, pois sua solidão ocupava todos os lugares.

Fábio Pedro Racoski

0 comentários:

Postar um comentário