quarta-feira, 25 de julho de 2012

Direito de viver a própria vida


Cristãos e outros religiosos condenam o homossexualismo sob o pretexto de "não ser natural" (uma inverdade) ou porque "deus não abençoa". Se deus existe, ele é amor, não? E, como disse o filósofo Agostinho, "amor não tem medida". Se não tem medida, não tem gênero.

Por causa da ditadura ideológica/filosófica/política/sexual do Cristianismo (cito apenas os cristãos porque é a realidade que conheço bem), milhões de pessoas vivem vidas inteiras em pedaços, com o peso da culpa e se sentindo sujas, más, "pecadoras". "Masturbar-se é pecado", "sexo anal/oral é pecado", "não crer em deus é pecado", "ser homossexual é pecado"... Essas palavras ecoam com muita dor no inconsciente. Sei disso por experiência própria, mesmo não sendo homossexual.

Então, é muito bonito, e emocionante, ver as fotos dessa notícia no link abaixo. Estes casais, que venceram tantos desafios, agora podendo ESFREGAR NA CARA DA SOCIEDADE o seu direito de viver a própria vida, com sua sexualidade, sendo felizes, infelizes, fiéis, infiéis, como pessoas comuns, que realmente são.

Quando a humanidade entender e sentir REALMENTE o que se resume na filosofia Ubuntu (uma pessoa é uma pessoa através das outras pessoas, "humanidade compartilhada"), aí sim, viveremos numa sociedade não utópica, mas comum.

http://www.buzzfeed.com/mjs538/what-has-happened-since-new-york-state-legalized-g

0 comentários:

Postar um comentário