domingo, 20 de novembro de 2011

Um tudo

um gesto,
um verso,
um poema
cinza e seco
para um universo
em forma de mulher.

uma voz,
um aceno,
uma seresta
para a festa
da vida em um sorriso.

um poeta,
pobre
e vagabundo,
para você
abraçar
e fazê-lo
reviver.

Fábio Pedro Racoski

0 comentários:

Postar um comentário