sexta-feira, 11 de novembro de 2011

O problema está na carapuça

A Ruiva Diz

Odeio ser repetitiva, mas às vezes é irresistível.

Há algum tempo, foi publicada uma pesquisa que liga a infidelidade masculina com o QI mais baixo. Logicamente despertou interesse e virou assunto, foi tuitada a exaustão e divulgada em todos os grandes portais do país. Até aí, tudo bem.

Mas será que ela tem relevância para virar até pauta do Bom dia Santa Catarina, com direito a entrevista com psicólogo, dias depois da publicação? (Pelo que fiquei sabendo, foi pauta de outros programas também).

Pelo jeito sim, e aí entra a história da carapuça.

Muitos homens se ofenderam, se sentiram chamados de burros (o que pode ser uma prova cabal de que realmente o são) pois são infiéis confessos ou não. Vestiram a carapuça total. E isso gerou o burburinho e não a pesquisa em si. "Como nós, copuladores, pegadores e infiéis praticantes, tão espertos na hora de mentir, manipular e inventar desculpas para suas (seus) parceiras(os) podemos ser chamados de burros? Heresia! Agressão!"

Soa patético colocado assim?

Então vamos superar essa mediocridade de sentirem-se ofendidos nos direitos de machos.

Pessoas traem porque são burras, eu acredito nisso e nunca precisei de pesquisa para afirmar.

Não tenho embasamento científico pra defender ou atacar o resultado da pesquisa, mas acho que a inteligência e o desenvolvimento humano estão sim ligados à fidelidade.

Pessoas inteligentes sabem o que querem, por isso quando estão em um relacionamento são fiéis à sua opção. Porque pessoas inteligentes são coerentes.

Pessoas inteligentes são bem resolvidas, se não querem mais saem da relação e não a destroem com desrespeito e mentira, ou perdem tempo permanecendo numa relação por desculpas esfarrapadas.

Pessoas inteligentes não agem unicamente pelo instinto de cópula, por isso são mais seletivas sim. Tem critérios em suas escolhas.

Pessoas inteligentes sabem que são livres para fazer suas escolhas, mas também entendem as implicações éticas e emocionais associadas a elas.

Pessoas inteligentes estabelecem pactos em seus relacionamentos que sejam compatíveis aos seus valores, porque sim... pessoas inteligentes tem valores.

Vamos pensar a inteligência além do teste de QI, ela se espalha por todo o ser, em todo seu comportamento, também é emocional e profissional.

Quando eles falam que a tendência é a diminuição da infidelidade estão apostando na evolução do raciocínio, da igualdade entre os casais, da liberdade individual.

Ahhhhhhhh e para deixar bem claro: pessoas são homens e mulheres.

0 comentários:

Postar um comentário