Páginas

domingo, 31 de julho de 2011

Uyara

Uyara canta
e encanta
minha alma
em desencanto.
Rouba-me para seu
rio de voz
que corre
em direção
ao mar de corações.

Uyara dança
e balança
minha emoção
outrora nula.
Rapta meus sentidos
e me faz flutuar
no espaço
que já é todo
música.

Uyara bela
me revela
mais um ouvinte,
mais um fã,
mais um
apaixonado
poeta torto
mendicante
suplicante
de sua onipresente
presença.

Fábio Pedro Racoski

2 comentários: