sábado, 4 de dezembro de 2010

Não sei

Não sei
ser herói de ação,
pular sobre trens
em movimento,
explodir quartéis,
salvar o mundo
e abraçar a mocinha
com braços fortes.

Não sei
ser cavaleiro de contos,
lutar ao valor da amada,
vestir armadura
e montar
cavalo.

Não sei
ser elegante,
ter fineza nos gestos
e sofisticação
nas roupas.

Não sei
ser bonito,
conquistar com o olhar
e usar do físico
(que não possuo)
como instrumento
de paixão.

Não sei
ser nada mais
do que eu mesmo,
rude, feio,
um poeta qualquer...
Mas um poeta qualquer
que lhe ama.

Fábio Pedro Racoski

0 comentários:

Postar um comentário