sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Não me quero

Não me quero.
Não desejo estar
com alguém
tão maçante,
tão derrotado,
tão incômodo
e tão patético
quanto eu.

Não me quero.
Não penso em passar
o resto da vida
ao lado de um
poeta miserável,
fraco,
covarde,
feio, burro,
injusto.

Não me quero.
Não serei vítima
do estrago causado
por alguém
que não sabe se amar.

Não me quero.
Por isso deixei meu eu
morrer à míngua.

Fábio Pedro Racoski

0 comentários:

Postar um comentário