Páginas

domingo, 21 de novembro de 2010

Amor não há

Não há nada de amor em mim.
Apenas reações do meu inconsciente
a estímulos que causam regozijo,
alívio, saciedade,
dor.

Não há nada de amor em mim.
Quando quero-te é porque meu corpo
está no cio,
como qualquer mamífero
que se preze.

Não há nada de amor em mim.
A relação que tenho
com familiares e amigos
se resume em comodidade,
conveniência,
sobrevivência.

Não há nada de amor em mim.
Aliás: quem disse
que há amor?

Cesar Miller de Almeida

2 comentários:

  1. Eita, a exposição sobre o Pessoa o estimulou ?

    Muitas pessoas se identificarão com a terceira estrofe.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Cesar Miller de Almeida... um discípulo moderno de Augusto dos Anjos.

    ResponderExcluir