quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Canção ao frio (maroz, maroz)


Ai, maroz, maroz,
tu me matarás?
Congelado assim
não posso ter paz.

Congelado assim
não posso ter paz.
Ai, maroz, maroz,
tu me matarás?

Sob meu cobertor
muito calor há.
Mas se tu congelas,
ele não será.

Se tu me congelas,
nem posso beijar.
A pedra de gelo
irá me esquentar.

A pedra de gelo
frio sentirá.
Teu sopro, maroz
a torturará.

Me torturará
teu sopro, maroz.
Teu clima é denso
qual doce de arroz.

Ai, maroz, maroz,
tu me matarás?
Congelado assim
não posso ter paz.

Fábio Pedro Racoski

--------------------------------------------

Este poema não é uma tradução, senão uma melodia para a canção folclórica russa, "Moroz, moroz". A palavra moroz (pronunciada, mais ou menos, "maroz") é o nome que se dá ao tempo frio e congelante.

Os dois últimos versos de cada estrofe se repetem, na canção.

0 comentários:

Postar um comentário