Páginas

sábado, 19 de junho de 2010

José de Sousa Saramago

E quem somos nós para nos julgarmos donos da verdade? Aliás, quem disse que existe apenas UMA verdade?

José Saramago, gênio da literatura como o mundo carece de ver, viveu na crença da não crença religiosa: ateu, comunista, crítico feroz do catolicismo, do cristianismo e do fenômeno religioso em si. Muitos celebraram sua morte como quem comemora a derrota do Diabo. Outros lembraram seu "destino certo": o inferno, por "blasfemar" a vida toda a Deus e aos “justos fiéis desta terra”...

Pois espero, na crença dele, que Saramago esteja, agora, eternamente vivo, através de suas obras aqui na Terra (uma literatura ímpar, livros excepcionais, maestria na língua portuguesa) e através da memória de alguns. E penso, em minha crença, que o escritor esteja agora num lugar merecidamente bom, a que acostumamos chamar “céu” ou “paraíso”. Ele, muito mais que carolas e papa-hóstias que vomitam religião comendo ódio e hipocrisia, merece o destino glorioso até mesmo de uma crença com a qual não compactuava.

Eu, pois, celebro sua eternidade em nossa memória, na cultura mundial, e mais próximo de Deus que, como bem-humorado que penso ser, deve estar feliz, a rir alegremente de seu talentoso e corajoso filho.

O grande poeta curitibano, Thadeu Wojciechowski, dedicou um poema, em seu blogue, ao José Saramago: http://polacodabarreirinha.wordpress.com/2010/06/19/2824/

5 comentários:

  1. Poxa, vi alguns versos dele no Bol, deu vontade de ler os livros.
    Ele parece interessante pelo modo como escreve, muitas verdades.
    Curti.
    Parabens ae pelo post

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo grande, Fábio. Acho que com 1,88 m de altura posso mesmo ser chamado de grande. Maior ainda o abraço pra você.

    ResponderExcluir
  3. Quando sou contratada, podem até gostar do meu currículo, mas o que conta mesmo são meus atos. Ah, essa tal experiência!

    Não importa no que você acredita ou diz que acredita; seus atos dizem mais por você do que meras palavras.

    Portanto, ainda é capaz do cara hoje estar numa melhor do que eu estarei um dia...
    rss

    Concordo contigo, Fábio. Próximo de Deus esse talentoso filho.


    beijooooooo

    ResponderExcluir
  4. Essa foi a melhor homanagem a Saramago que vi até agora, do Polaco da Barreirinha ;)

    O problema é que não dá pra saber se o poema é traduzido ou não, porque o nome do cara podia muito bem ser brasileiro! rs

    ResponderExcluir
  5. Gostei do seu texto, Biofa. E gostei, também, do poema do Thadeu. Obrigada pelo link.
    Beijão!

    ResponderExcluir