Páginas

sexta-feira, 5 de março de 2010

Bend brothers

Hoje vi um filme que, já posso dizer, mudou minha vida. Um filme que me fez correr atrás de um instrumento musical quase empoeirado em meio a minha coleção de instrumentos adquiridos por curiosidade, tentativas frustradas de aprendizado ou, simplesmente, paixão pela música. E esse instrumento foi a harmônica, também chamada gaita de boca.
E o filme que me impulsionou a essa busca foi um antigo: “The Blues Brothers”, ou “Os Irmãos Cara de Pau” em português. Não sou crítico de cinema – nem brinco de sê-lo –, não sou especialista na sétima arte, e talvez essa obra protagonizada por Dan Aykroyd e John Belushi nem seja considerada uma pérola do cinema. Mas diverti-me muito ao acompanhar a trama dos politicamente incorretos irmãos na reconstrução de sua banda.

O filme, apesar de ser comédia, é um tributo à boa música estadunidense. Aqui, especialmente, o blues, a música negra. Participações de Ray Charles, Cab Calloway, Aretha Franklin e James Brown ajudam a abrilhantar essa homenagem. Até mesmo a dança típica dos irmãos Elwood e Jake é empolgante. Tudo “soul”, alma, no sentido literal da palavra mesmo. E, claro, a cena do show, onde temos os pequenos solos de gaita, fez-me recordar daquele instrumento que ousei esquecer.

Procurei, encontrei. Aqui está: minha terceira gaita (a primeira, daquelas “paraguaias”; a segunda, uma Hering que enferrujou, mas onde aprendi algo). Busquei na Internet algo sobre técnicas para tocar blues na gaita – uma harmônica diatônica tem notas em uma tonalidade, e o músico precisa saber tirar mais notas, as “bends”, para as escalas do ritmo. Nas primeiras tentativas, uma das palhetas (lâminas dentro da gaita, que fazem as notas ao vibrarem com o sopro ou a sucção) soltou, e veio para dentro de minha boca, quase esquartejando minha língua. Com uma Bluesband da Hohner International (marca chinesa, que copia porcamente as boas gaitas da Hohner), não ia dar.

Por isso, hoje mesmo vou comprar uma Hering simplesinha – mas que não é assassina! – para tentar brincar de blues. Não como Elwood, nem como os verdadeiros grandes gaiteiros, mas como eu mesmo, calejando a língua para um pouco de divertimento musical.

2 comentários:

  1. Também tentei aprender a tocar gaita, quando tinha meus ... mmmm... sei lá, 10, 12 anos. Fiquei só na tentativa e no 'parabéns pra você'. Sucesso e blues na veia!

    ResponderExcluir
  2. Eu tinha uma vontade imensa de aprender gaita,aí eu desisti, fiquei com o violão mesmo, tocando muito mal.. haha... Mas, é isso aí, um abraço!

    ResponderExcluir