Páginas

sexta-feira, 19 de março de 2010

Amor atípico

Era um casal estranho.
Ela tipo Cyndi Lauper,
ele tipo Iggy Pop.

Se conheceram
numa festa de Rock,
tipo Raul Seixas.
Um amigo dele tipo Victor Jara
o apresentou à irmã
de sua amiga tipo Debbie Harry.

Os dias se passaram
e a saudade aumentava
assim como a frequência
dos encontros.

Até que, num belo dia,
ele se declarou, tipo Roberto Carlos
e ela, tipo Rita Lee,
fez uma graça, mas disse sim.

E hoje vivem seu amor
ao contrário do destino.
Não tipo Sid e Nancy,
mas tipo Cascatinha e Inhana.
E seus filhos seguem essa história,
tipo a mais bela canção.

Fábio Pedro Racoski

4 comentários:

  1. Me fez inevitalvelmente fazer a analogia com "Eduardo e Mônica", de Renato Russo, muito bonitinho, tipo Rascoski.

    ResponderExcluir
  2. Leve, descontraído. Bonito! Eu diria que é um poema "tipo assim..." de amor.

    ResponderExcluir
  3. Eu também lembrei da música do Renato Russo, Bruna. É um poema muito "bonitinho", mesmo. Digamos, fofo. =*

    ResponderExcluir