Páginas

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Satélite

É noite. A lua clareia
a rua sem luz elétrica.
Amarela lua cheia
sem espaço em curta métrica.

Lua, lua, esfera fria,
no vazio espaço meu
és o sol que eu queria
no dia que escureceu.

Fábio Pedro Racoski

6 comentários:

  1. Que expressiva! "amarela lua cheia" Lua,lua, esfera fria, no vazio espaço meu és o sol que eu queria no dia que escureceu" Um poeta solitário caminhando por aí. Eu apresentei teu blog para um amigo meu que é músico, ele imaginou você como um rapaz andarilho que toca alguns versos no violão e escreve com o seu lápis cinza as suas palavras. Bonito,né! ahhaha... Legal, Fábio. Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Bonito, mesmo!

    Eu não escrevo com o lápis, não sou tão andarilho, ainda que dedilhe alguns versos na viola caipira. Sou um gordo a digitar em frente ao PC. Mas a realidade nunca é tão bela quanto o idílico! Ainda que o chapéu que uso ajude.

    Obrigado, Bruna! Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Lindo. Queria eu poder ver a lua com tais olhos.

    ResponderExcluir
  4. "amarela lua cheia
    sem espaço em curta métrica"

    Bom, muito bom!

    ResponderExcluir