Páginas

sábado, 2 de janeiro de 2010

Os prazeres de Midei Shempaz

Midei Shempaz!
Midei Shempaz!

Assim foi acordado o grande sábio, exilado em terras alheias. Mas, desta vez, não chamavam por ele. Era uma donzela sendo atacada por um tarado.

Instantaneamente, com a agilidade de um capoeirista, Midei Shempaz curou-se do porre. Levantou num salto e acelerou violentamente contra o malfeitor, dando-lhe uma cabeçada caprina, atingindo-lhe o estômago. A bela e doce donzela, agradecida ao sábio por salvar-lhe de um destino cruel, disse: "ó, valente homem, que salvaste minha vida, sou eternamente grata a ti, e posso demonstrar minha total gratidão fazendo o que tu quiseres".

O grande sábio, que não era adivinho, desconhecia a vida cortesã da moça, assim como sua relação com o malfeitor ali caído que, na verdade, era seu cafetão. Mesmo assim, percebeu a chance de encontrar naquela agradecida moça prazeres que nunca encontraria no Curitestão.

"Posso pedir o que quiser?", solicitou confirmação o sábio. Ao receber o sinal afirmativo da moça, replicou: "então, bela moça, você poderia fazer para mim um empadão de frango, com o recheio bem sequinho e aquela massa que esfarela toda, acompanhado de uma caipirinha?"

A moça aceitou, ainda que totalmente desconcertada com o pedido. Depois de levar Midei Shempaz à sua casa, fazer a tão esperada refeição e beber caipirinha junto do sábio, ela indagou: "valente homem, por que tu não quiseste os meus serviços carnais em retribuição?". "Para dar um ensinamento, menina!", respondeu o já ébrio sábio. "Logo que percebi sua profissão, decidi mostrar outra vida a você. Quando me disse que faria o que eu quisesse, resolvi pedir um empadão, para testar seus dotes culinários. A caipirinha era para testar sua companhia ao homem nos doces goles. Veja agora, menina: você não precisa trabalhar como davida! Já tem tudo para casar. Quer dizer, falta uma coisa: você gosta de futebol?"

Como a moça era fã de futebol e praticava o esporte nas horas vagas, e ainda encantada com Midei Shempaz, ela resolveu largar a dura profissão e casar com o sábio. Depois daquela noite...

2 comentários:

  1. ahahhaha...
    Sou fã do grande sábio, tenho impressão de me lembrar as personagens do Rosa... ahhaha.. boa história!

    ResponderExcluir
  2. Boa história. As sutilezas me encantaram.

    ResponderExcluir