sexta-feira, 28 de agosto de 2009

DIA SEM FIM - O retorno

Caro leitor, cara leitora,

Há alguns meses eu postei um conto de minha autoria neste blogue. O "Dia sem fim" foi publicado em onze partes, no estilo folhetim. Decidi reuni-las e publicar o conto completo.

Para quem tiver paciência e curiosidade o suficiente e quiser se aventurar nessa literatura barata, aqui está o "Dia sem fim" no Google Docs:

http://docs.google.com/View?id=dg66df7z_0gz6ghhhg

Ou, se preferir, pode ler o conto dentro do blogue, clicando aqui.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Filtro solar...

Ótima paródia do Rafinha Bastos àquela mensagem de fim de ano do Pedro Bial que, por sua vez, é uma versão de outra mensagem piegas em inglês (Sunscreen).

AVISO: este vídeo contém palavrões.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Bella Ciao Brasiliana

Sou comunista
capitalista.
O Bella Ciao, Bella Ciao, Bella Ciao Ciao Ciao.
Sou anarquista
e direitista
E de velhice hei de morrer.

De manhãzinha o sol brilhava.
O Bella Ciao, Bella Ciao, Bella Ciao Ciao Ciao.
E eu podia estar na praia
mas hoje é dia de votação.

Se eu ganho lucro
burro e pelado...
O Bella Ciao, Bella Ciao, Bella Ciao Ciao Ciao.
Se eu ganho lucro
burro e pelado
pra que cultura e educação?

Eu sou guerreiro,
sou partigiano.
O Bella Ciao, Bella Ciao, Bella Ciao Ciao Ciao.
Eu sou guerreiro,
sou partigiano
quando o assunto é futebol.

E se me roubam
lá no Congresso...
O Bella Ciao, Bella Ciao, Bella Ciao Ciao Ciao.
E se me roubam
lá no Congreso
eu também quero mensalão.

Novo conceito
sociopolítico.
O Bella Ciao, Bella Ciao, Bella Ciao Ciao Ciao.
Novo conceito
sociopolítico:
é o "deixadismo" do povo meu.
Novo conceito
sociopolítico:
é o "deixadismo" do povo meu.

Fábio Pedro Racoski

--> O que é Bella Ciao?
--> Várias interpretações da canção "Bella Ciao".

O nosso poeta

Paulo Leminski
me chegou pela escola,
na forma de nome de pedreira.

Maldita escola
que me injetava ignorância
sob a pele de conhecimento.
Maldita escola
que me negava os haicais,
os versos livres,
o Catatau do Kamiquase.
A mesma escola que me ensinava:
"esse Paulo escreve tudo errado,
tudo torto."

E tarde é que descobri:
os poetas são como Deus.
Escrevem certo
por linhas tortas.
São sóbrios
na embriaguez.
São sensatos
na loucura.
Fábio Pedro Racoski

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Alunos...

Certa vez, o grupo de alunos mais bagunceiros da turma mais bagunceira onde eu dava aula, me disseram, depois de ouvir meus reclames: "mas nós somos bonzinhos professor; somos ursinhos carinhosos!"
Talvez sejam, mas estes aí!

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Vossa o quê?

Vossa excelência
roubou minha inteligênica.
Vossa excelência
roubou minha saúde.
Vossa excelência
roubou meu futuro,
estuprou meu presente
e cuspiu no meu passado.

Oh, Vossa excelênia!
A excrescência de
sua alma
contaminou
o rio da minha vida!
Fábio Pedro Racoski

domingo, 16 de agosto de 2009

Reis das Arábias

Rei Abdullah II e sua esposa, Rainha Rania Al-Abdullah, monarcas da Jordânia. Foto encontrada no Twitpic da rainha (http://twitpic.com/e4qba). As arábias como você nunca viu, seu ignorante preconceituoso: esperava turbante e burca??? (Calma, gente: é só pra provocar. Incluo-me aí!)

Twitter da gostosa bela rainha: twitter.com/QueenRania

Que Allah me entenda!

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Ele já não cantava mais.
Não fazia versos.
Não falava sobre
história e
filosofia de botequim.

Ele já não xingava
nem chorava
nem beijava.
Ele já não protestava
nem apoiava.
Ele já andava torto,
bêbado na sobriedade
chata do tédio.
Ele já não era mais
humano,
senão um autômato
triste a apertar
parafusos.

Mas eis que ele encontou
um Dostoiévski
empoeirado
no canto do quarto.
A panaceia
de que precisava.
O presente
de Esculápio
para salvar-lhe
a vida.

Fábio Pedro Racoski

Os pais do Rock estão indo... Para a eternidade.

Lester William Polfus (LES PAUL)
09/07/1915 - 13/08/2009

Um dos pais do Rock and Roll, criador do modelo cultuadíssimo de guitarra que leva seu nome. Descanse em paz no paraíso dos músicos.Seu nome está eternizado num símbolo de arte, mesmo que esteja longe de ser uma Gibson Les Paul, como minha Phoenix Les Paul genérica.
Obrigado.

Po po po po po po pôquer

Lady Gaga.
Ou em espanhol:
Doña Tartamuda.

(trocadalho do carilho)

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Top 9 - belos hinos

Depois de postar os cinco hinos mais assustadores, faço este Top 9 (sim, nove!) com os hinos que mais gosto. Sugestão do Igor Ravasco!

Deixarei o hino nacional brasileiro de fora, e abordarei somente ele num post futuro. Então, vamos aos nove mais belos, segundo meus gostos:

9 - ʻE ʻotua māfimafi - hino nacional de Tonga

Não é DA tonga: é DE Tonga. Um país formado por ilhas no meio do Pacífico Sul, não muito próximo da Nova Zelândia. Hino com "a cara" dos povos do Pacífico. Lembra-me as músicas havaianas, as canções do Taiti, Rapa Nui... um hino peculiar!

8 - Kimi ga yo - hino nacional do Japão

Sim: ele estava no Top 5 de hinos assustadores, mas é um dos mais belos e menos "europeizados" (não é marcha, nem ópera). Como havia postado sua versão clássica no Top 5, aqui pus uma versão "a capella".

7 - Hatikva (A Esperança) - hino nacional de Israel

Enquanto no fundo do coração
Palpitar uma alma judaica,
E em direção ao Oriente
O olhar voltar-se a Sião,
Nossa esperança ainda não estará perdida,
Esperança de dois mil anos:
De ser um povo livre em nossa terra,
A terra de Sião e Jerusalém.

Sim: o hino de Israel. Nação polêmica, cuja própria existência divide opiniões até hoje. Mas uma bela canção, mesmo que a letra tenha um tom deveras sionista!

6 - Gosudarstvenny Gimn Rossiyskoy Federatsii (Hino da Federação Russa) - Rússia

Rússia é o nosso Estado sagrado!
Rússia é o nosso amado País!
Vontade de ferro e glória grande
Pertencem-te agora e para todo o sempre.

(Refrão)
Gloriosa a nossa Pátria livre,
Povos irmãos, união secular,
Sabedoria que nos é dada pelos antepassados.
Gloriosa, oh Pátria, de ti nos orgulhamos!

Dos mares do Sul ao círculo Ártico
As nossas florestas e campos abrem-se para ti.
No mundo és única, és sem igual,
Oh, minha terra natal, protegida por Deus!
Amar-te-emos eternamente

(Refrão)

As vastas larguras dos sonhos e vida
Os anos vindouros prometem a nós.
A nossa força vem da fé na Pátria.
Assim foi, assim é, e sempre será!

(Refrão)

A melodia é a mesma que serviu como hino da extinta União Soviética. Apenas mudaram a letra. É um hino que eu gosto de ouvir desde criança (isso que eu nunca fui comunista!).

5 - Deşteaptă-te, române! (Desperta, romeno!) - hino nacional da Romênia
Sim: outro que estava na lista dos assustadores! Mas belo. E, para provar que ele pode ser menos assustador (ou mais, depende do gosto), coloco esta versão, digamos, "roots"!

4 - A portuguesa - hino nacional de Portugal


Ainda que seja "inspirado" no hino da França "A Marselhesa", é meu hino da Europa Ocidental preferido. O fato de entender a letra que se canta também ajuda: são versos que chamam a "galera pro pau", mesmo, pra defender Portugal, agir por Portugal. Hino, mesmo. Com uma bela interpretação vocal: http://www.youtube.com/watch?v=mXooecaVXPY

3 - Ons Hémécht - Hino de Luxemburgo

Não: não é o país do Wanderley! Luxemburgo é uma nação minúscula, que fica entre a Bélgica, a Holanda (Holanda não!), a França e a Alemanha. Gosto dessa melodia: da cadência, dos arranjos, e do tom. Fico devendo a tradução da letra.

2 - Hino nacional da África do Sul


Deus abençoe a África
Que suas glórias sejam exaltadas
Ouça nossas preçes
Deus nos abençoe, porque somos seus filhos

Deus, cuide de nossa nação
Acabe com nossos conflitos
Nos proteja, e proteja nossa nação
À África do Sul, nação África do Sul

Dos nossos céus azuis
Das profundezas dos nossos mares
Sobre as grandes montanhas
Onde os sons se ecoem

Soa o chamado para nos unirmos
e juntos nos fortalecermos
Vamos viver e lutar por liberdade
Na África da Sul a nossa terra.

O hino possui versos em xhosa, zulu, sesotho, africâner e inglês. Combina melodia e versos do hino nacional à época do Apartheid, "Die Stem van Suid-Afrika", com a canção adotada como hino popular de vários países e organizações africanos: "Nkosi Sikelel' iAfrika" (que serve de base para outros hinos nacionais africanos). É o hino mais "nacional", propriamente dito. E uma bela canção, um hino que convida ao respeito pela diversidade, ainda que aconteça hoje, naquele país, uma espécie de Apartheid às avessas: agora o branco é segregado.

E o primeiríssimo:
1 - Intermeco (Intermezzo) - hino nacional da Bósnia e Herzegovina

Belíssimo hino. Adoro essa melodia, vibrante, envolvente. É uma composição clássica de primeira qualidade. Pena eu não ter conseguido uma tradução da letra, ainda que a versão oficial seja apenas instrumental.

Fonte de pesquisa (letras, nomes de hinos):
pt.wikipedia.org/wiki/Categoria:Hinos_nacionais

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Top 5 - hinos assustadores

Tenho que confessar: uma de minhas manias é conhecer hinos nacionais. Angola, Portugal, Japão, Laos, Luxemburgo... E há, entre eles, alguns que me dão medo. Seja pela melodia, com um ar de temor, suspense, ou pela letra, "chamando a galera pro pau" ou coisa desse naipe.

Farei aqui um Top 5 dos que mais "dão medo" pelo mundo afora:

5 - Kimi ga yo (Reino Imperial), hino do Japão

Possa o reinado do meu senhor,
Prosseguir durante uma geração,
Uma eternidade,
Até que seixos
Surjam das rochas,
Cobertas de musgo verde claro.

Não sei por que, mas esse hino me lembra "harakiri", saudade, tristeza. É uma bela melodia, mas triste e, pelo tom suicida, assustadora!

4 - İstiklâl Marşı (A marcha da Independência), hino da Turquia

Peço desculpas, caro leitor, querida leitora: fico devendo a letra deste. Mas aqui o importante é a melodia: parece aqueles hinos de nações fictícias nos filmes de Hollywood.

3 - Azərbaycan Respublikasının Dövlət Himni - hino do Azerbaijão

Azerbaijão! Azerbaijão!
Ó grande pátria, teus filhos são heróis.
Estamos prontos para sermos os teus mártires.
Estamos prontos para lhe verter o nosso sangue!
A bandeira tricolor floresça honorável!
Milhares de vidas se sacrificaram,
Um campo de batalhas em ti se fez,
Todo soldado devoto, um herói tornou-se!
E prosperastes então!
Minha vida lhe é dedicada,
Meu amor por ti está gravado
Profundamente em meu coração!
Uma vez entre milhares,
Para tudo resguardar,
E para a tua bandeira honrar.
Toda a juventude está pronta!
Grande Pátria! Grande Pátria!
Azerbaijão! Azerbaijão!
Azerbaijão! Azerbaijão!

Ah, esse é assustadoramente sangrento: a melodia, a letra, os arranjos, tudo. É o segundo hino assustador de nações turcas nesse Top 5.

2 - Deşteaptă-te, române! (Desperta, romeno!), hino da Romênia

A introdução do hino já lembra de cara a Marcha Imperial do Darth Vader. A melodia entra como numa abertura de um documentário sobre a Primeira Guerra. Acho que fizeram isso de propósito, para que mais nenhum Ceauşescu tentasse tiranizar por lá!

Desperta, ó, romeno, deste sono de morte
Em que te mergulharam os bárbaros tiranos!
Agora ou nunca toma nas mãos a tua sorte
À qual se curvem mesmo teus rivais desumanos

Olhai, vultos grandiosos, Mihai, Stefan, Corvinus,
A romena nação dos vossos descendentes,
No braço armado a fogo dos vossos paladinos,
"Independência ou Morte!" bradamos veementes.

Agora ou nunca demos as provas para o mundo
Que em nossas veias corre um sangue do romano
Que em nosso peito o orgulho mantemos bem profundo
Triunfador na luta, um nome de Trajano!

1 - Oj svijetla majska zoro (Oh, clara alvorada de maio), hino de Montenegro

A nação mais jovem da Europa, com o hino mais temeroso. Lembra aqueles filmes de terror e suspense, aquelas histórias da Segunda Guerra que se passam no Leste Europeu. Ou ainda músicas eruditas, como "Uma noite no Monte Calvo" (de Mussorgsky) ou "Tocata e fuga" (de Bach). Parece que foi composto com essa intenção: de assustar. Mas vejam a letra:

Oh, clara alvorada de maio
Nossa mãe Montenegro
Somos filhos de tuas pedras
e guardiães de tua honra

Nós te amamos, montes robustos
E tuas grutas incríveis
Que nunca conheceram
As cadeias vergonhosas da escravidão.

Enquanto nossa evocação ao nosso Lovćen*
Nossa união dá-nos asas
Orgulhosa será, celebrar irá
Nossa querida pátria.

O correr das ondas,
Saltando nos dois mares,
Leverá esta voz ao oceano,
Que é eterno, Montenegro.

*Nome de uma montanha.

Uma letra tão meiga. E ainda assim, assustador!

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Dia dos pais...

Como todo domingo, fui à missa, de manhã, neste dia dos pais. Entre homenagens e a canção do Fábio Júnior tocando nos rádios e televisores, a homilia do padre me surpreendeu. Ao falar da importância da figura do pai - e do homem - na família, ele lembrou: "existem famílias formadas por dois pais ou duas mães. Não é o que a Igreja instrui, mas elas são da mesma forma abençoadas por Deus e felizes".

Ouvir estas palavras de um padre, católico, deixou-me feliz. O Vaticano e seus lacaios tanto falam de "chamar os homossexuais ao celibato", abrem a boca para proferir tantas asneiras ao homossexual, que ouvir de um padre palavras que buscam a aceitação e o respeito é, relamente, surpreendente. Mesmo que não haja nada de revolucionário aí, senão sensato.

Quanto mais as igrejas, as religiões respeitarem aqueles que elas chamam de "desvirtuados, pecadores", quanto mais as instituições religiosas enxergarem o ser humano como humano, menos ópio elas serão.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

"El Gordo"

orgulho
gordo
desde que o
gordo
não seja
orgulhoso

talvez
um pouco
como um
Botero
caprichoso