quarta-feira, 14 de outubro de 2009

O grande sábio Midei Shempaz

Há muito tempo, nas terras do Curitestão, vivia um jovem senhor chamado Midei Shempaz. Conhecido por sua sabedoria e sua apurada sensibilidade para questões do Céu e da Terra, Midei Shempaz era procurado por pessoas de diversas partes, curitãs ou estrangeiras, aos quais ensinava ou, segundo o próprio, "fazia-lhes enxergar sua sabedoria interior", com poucas palavras (normal para um curitão).

Vivendo como um mendigo nas ruas da capital de Curitestão, a cidade de Kinze, Midei Shempaz era admirado e respeitado por alguns, discriminado e odiado por outros – ódio que mais parecia temor. Seu passado como arqueiro-mor da 1ª divisão de artilharia de Curitestão rendia à sua pessoa a imagem de um homem forte e elegante. Para completar sua definição, Midei Shempaz era entusiasta de festas e bebedeiras, sendo campeão na disputa de Submarinos e chopes.

Midei Shempaz começou cedo seu caminho de sabedoria: já aos 13 anos ele sabia mais sobre física quântica e análise do discurso que seus professores. Aos 15, tentou publicar sua Teoria do Tudo e do Quase Nada. Mas como era muito pobre, não conseguiu fazê-lo. Em momentos de extrema crise de produção intelectual, produzia livros que considerava “sub-literatura”. Daí nasceu o gênero literário da auto-ajuda que, segundo Midei, foi seu “maior erro de todos os pisos da vida”.

Nas próximas edições, publicaremos um pouco da produção intelectual de Midei Shempaz, junto a alguns de seus ensinamentos, colhidos de seus discípulos. Tentaremos, também, resgatar a Teoria do Tudo e do Quase Nada, trabalho extremamente árduo mas que, se lograr êxito, revolucionará para todo o sempre o pensamento humano.

0 comentários:

Postar um comentário