quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Midei Shempaz e a definição de Céu e Inferno

Certo dia, chegou às ruas de Kinze um jovem padre, sedento pelo conhecimento escatológico que nem seu médico, nem seu bispo lhe ofereciam. Ele buscava por respostas sobre o Céu e o Inferno, e sabia que naquela cidade, naquelas ruas, perambulava um grande sábio.

Seguindo o rastro das barbas falhas do sábio, o jovem padre o encontrou, em uma taverna, bebendo o mais puro Steinhäger da região.

- És tu o grande sábio destas terras? -, pergunta o padre.

- Sim, sou eu, Midei Shempaz! -, responde ebriamente o sábio.

- Desculpe-me!

- Não, este é meu nome!

- Ah... Preciso saber de ti, ó sábio, qual a diferença entre o Céu e o Inferno?

- Vejo que você é padre. É, a Igreja é pouco prática nesses assuntos. Mas vamos lá, meu filho: imagine o Céu e o Inferno como duas festas de casamento. O Céu é o casamento de pobre: bêbados, cerveja barata, vinho barato, mulheres com vestidos horríveis, carne dura, briga. O Inferno é o casamento de rico: restaurante chique, champanhe, comida coisa fina, mulheres com vestidos de grife e siliconadas (algumas gostosas), alguns debates em conversas de cavalheiros e damas.

- Não entendo: dessa forma, parece que o Inferno é melhor que o Céu. -, respondeu, confuso, o padre.

- Parece mas não é, não, meu querido. No casamento de pobre, tudo se extravasa ali, a alma está na ponta da língua, na ponta dos dedos e no bafo de cerveja; o que se levam são os salgadinhos, dentro da bolsa, símbolos da experiência redentora. Isso, mesmo com bafo, é o Céu. No casamento de rico, tudo é aparência, é Photoshop, depois um fica maldizendo o outro, pelas costas; leva-se, dali, a luxúria e um suvenir, símbolo da experiência maldita. Ah, isso é um Inferno!

Ouvindo isto, o jovem se desfez de seu colarinho de padre, deixando de sentir a angústia sufocante da ignorância.

3 comentários:

  1. aplausos... =]
    Muito bom!

    ResponderExcluir
  2. Faz muito sentido. Gostei da definição, - do céu e do inferno. As festas de pobre são muito diverdidas. Sei disso. Por só frenquentar as festas das minhas duas famílias.E por ir uma vez numa festa rico, tão fresca, nojentinha... ehhehe...Um bjo.

    ResponderExcluir
  3. Interessante visão em agradáveis palavras.

    ResponderExcluir