Páginas

segunda-feira, 13 de julho de 2009

13 de julho: um dia internacional do Rock!

Rock and Roll! Expressão que se refere, metaforicamente, a sacudir, perturbar. Também usada, desde o século XIX, como referência ao ato sexual, tanto os termos em conjunto como separadamente (rocking e rolling). E, desde a geração pós-guerra, nome de um fenômeno musical que quebrou as barreiras da segregação racial, nos Estados Unidos, e ganhou o mundo nos Anos Dourados.

Filho do Gospel, do Folk, do Country, do Blues (entre outros!), o Rock é um caipira que ganhou campos e cidades. Se diversificou a tal ponto que encontramos formas diversas dentro dele: Punk Rock, Rockabilly, Heavy Metal, Thrash Metal, Hardcore, Emocore, Hard Rock...

Se há um elemento cultural que influenciou todo o mundo, desde artistas de vanguarda até balconistas de armazéns, esse elemento é o Rock, que ajudou a popularizar a música e a produção musical: afinal, é muito menos custoso uma guitarra, um contrabaixo e uma bateria, de que violinos, fagotes, clarinetas, rabecões.

Três ou quatro pessoas e você tem uma banda. Pode-se começar com Tonantes e, quem sabe, chegar um dia a Gibsons e Fenders. Pode-se juntar quatro caras de Liverpool e fazer os Beatles. Pode-se juntar cabeludos e ter um Led Zeppelin, um Rolling Stones, um Deep Purple. Pode-se juntar outros malucos e conseguir um Mutantes, um Camisa de Vênus, um Clash, um Ramones. É esse o poder do Rock: através dele, muita gente mostrou o que tinha a dizer, a tocar, a revolucionar.

De baladas bregas a músicas de protesto, passando por solos de guitarra virtuosíssimos e arranjos orquestrais de fazer inveja a Beethoven, o Rock and Roll fortaleceu na humanidade a vontade de ouvir, cantar e fazer música.

Para provar a versatilidade do Rock, trago esta música, "Come Along", da banda russa (correção: não é mongol), Yat-Kha:

Muitas comemorações do Dia Internacional do Rock por aqui. Mas, como Kid vinil escreveu, em sua coluna: "Aqui no Brasil, as comemorações sempre acontecem, mas gostaria de saber porque os norte-americanos e os ingleses em especial nem se importam com a data. Será pela simples razão de que para as bandas de lá todo dia é dia de rock e o estilo faz parte do cotidiano daqueles jovens?"

Para mim, todo dia é dia de Rock and Roll. Dia de pegar minha guitarra Phoenix imitação barata de Les Paul e arriscar cópias descaradas de solos do Deep Purple, do Black Sabbath, do Led Zeppelin e, vez em quando, uns bicordes dos Ramones.

LONGA VIDA AO ROCK AND ROLL!!!

Leia o artigo do Kid Vinil sobre o Dia Internacional do Rock: http://br.noticias.yahoo.com/s/13072009/48/entretenimento-rock-and-roll.html

Um comentário: