Páginas

quinta-feira, 30 de julho de 2009

"Fou"

Cansei de deboche.
Cansei de deboche.
É aluno,
é colega de trabalho,
é gentes nas ruas,
é gentes por computador,
e só deboche.

Cansei de deboche, chega!
Deixa eu pensar assim.
Deixa eu seguir assim.
Deixa eu rezar assim.
Deixa eu ser.

O que mais quero
é me deixar ser.
Então me dê meu espaço!

Fábio Pedro Racoski

segunda-feira, 27 de julho de 2009

O Grande Império

Os romanos dominaram o Velho Mundo
por séculos e séculos.
E daí?

Os chineses
formam um império multimilenar.
E daí?

Os estadunidenses
converteram o mundo
ao seu mercantilismo selvagem.
E daí?

Você sabia que as baratas
dominam esse mundo
há centenas
e centenas
de séculos?

Fábio Pedro Racoski

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Uma moça prejudicada por mim...

Dia 22 de julho de 2009, uma quarta-feira. Por volta do meio-dia, lá na praça Rui Barbosa, subi no Formosa, o ônibus que me leva do trabalho para casa. Uma moça, depois de perguntar se aquela linha passava na Maternidade Vitor do Amaral, confiou em mim para lembrá-la onde deveria descer.

Eis que a moça e o motorista me perguntam: "é aqui?". E eu disse sim. Para total vergonha posterior. Vergonha de mim mesmo: a maternidade ONDE NASCI ficava sete quadras depois, na mesma rua.

Se os acasos da vida e das pesquisas de Internet lhe trouxerem aqui, moça prejudicada por mim, peço mil desculpas pelo equívoco.

RIP

Lingüiça
10/1996 - 23/07/2009


Descanse em paz

¡Legítimo!

O mundo da tecnologia está cada vez mais popular.

Você, amiga leitora, amigo leitor, com certeza conhece e, provavelmente, já teve algum produto das "marcas" Foston e Powerpack: tecnologia Xing-Ling a serviço das classes menos favorecidas.

Eu já tive: um MP3 Foston, doado a minha irmã, que já não funciona mais, e um MP4 Powerpack, que funciona bem, ainda resiste, apesar de estar todo quebrado. Mas, pesquisando na Internet, descubro que as duas marcas lançaram... Notebooks! Ou melhor: "netbooks", que são notebooks nanicos.
Este é o Powerpack NET-807. É branco, como o MacBook. É pequeno, como o EEE PC. E vejam só: a tela gira!
Este é o Foston FS-NB1020. Na tradicional cor preta em borracha fedorenta, marca registrada da "empresa".

É a tecnologia ¡legítima! a preços módicos. Não vou me assustar se ver, na rua, uma caminhonete Foston ou uma moto Powerpack. Ou, ainda, um caminhão CCE, um avião Positivo...

terça-feira, 21 de julho de 2009

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Assento

Derrière,
Traseiro,
Bunda.
Bundão.
Bundões.
E o que
os olhos veem?

Tanta polêmica
num olhar
aos glúteos...
Olhar bundas
é fácil.
Difícil é encarar
um olhar,
direto nos olhos.
Mesmo que seja
de uma cara
de bunda.

Fábio Pedro Racoski

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Vou-me embora para Funafuti

Vou-me embora para Funafuti,
ver Tuvalu ser engolida
pelas águas.
Ver as lágrimas
dos tuvaluanos
se misturarem com o sal
do Pacífico Sul.

Vou-me embora para Funafuti,
suicídio mais lento
e épico não há.
Vou-me para as terras
que sucumbirão à onda
devastadora
do progresso humano.

Vou-me embora para Funafuti,
esperar por minha morte,
esperar por tua morte,
ouvindo numa vitrola
Lux Aeterna,
o útimo Réquiem
de Mozart.

Fábio Pedro Racoski

segunda-feira, 13 de julho de 2009

13 de julho: um dia internacional do Rock!

Rock and Roll! Expressão que se refere, metaforicamente, a sacudir, perturbar. Também usada, desde o século XIX, como referência ao ato sexual, tanto os termos em conjunto como separadamente (rocking e rolling). E, desde a geração pós-guerra, nome de um fenômeno musical que quebrou as barreiras da segregação racial, nos Estados Unidos, e ganhou o mundo nos Anos Dourados.

Filho do Gospel, do Folk, do Country, do Blues (entre outros!), o Rock é um caipira que ganhou campos e cidades. Se diversificou a tal ponto que encontramos formas diversas dentro dele: Punk Rock, Rockabilly, Heavy Metal, Thrash Metal, Hardcore, Emocore, Hard Rock...

Se há um elemento cultural que influenciou todo o mundo, desde artistas de vanguarda até balconistas de armazéns, esse elemento é o Rock, que ajudou a popularizar a música e a produção musical: afinal, é muito menos custoso uma guitarra, um contrabaixo e uma bateria, de que violinos, fagotes, clarinetas, rabecões.

Três ou quatro pessoas e você tem uma banda. Pode-se começar com Tonantes e, quem sabe, chegar um dia a Gibsons e Fenders. Pode-se juntar quatro caras de Liverpool e fazer os Beatles. Pode-se juntar cabeludos e ter um Led Zeppelin, um Rolling Stones, um Deep Purple. Pode-se juntar outros malucos e conseguir um Mutantes, um Camisa de Vênus, um Clash, um Ramones. É esse o poder do Rock: através dele, muita gente mostrou o que tinha a dizer, a tocar, a revolucionar.

De baladas bregas a músicas de protesto, passando por solos de guitarra virtuosíssimos e arranjos orquestrais de fazer inveja a Beethoven, o Rock and Roll fortaleceu na humanidade a vontade de ouvir, cantar e fazer música.

Para provar a versatilidade do Rock, trago esta música, "Come Along", da banda russa (correção: não é mongol), Yat-Kha:

Muitas comemorações do Dia Internacional do Rock por aqui. Mas, como Kid vinil escreveu, em sua coluna: "Aqui no Brasil, as comemorações sempre acontecem, mas gostaria de saber porque os norte-americanos e os ingleses em especial nem se importam com a data. Será pela simples razão de que para as bandas de lá todo dia é dia de rock e o estilo faz parte do cotidiano daqueles jovens?"

Para mim, todo dia é dia de Rock and Roll. Dia de pegar minha guitarra Phoenix imitação barata de Les Paul e arriscar cópias descaradas de solos do Deep Purple, do Black Sabbath, do Led Zeppelin e, vez em quando, uns bicordes dos Ramones.

LONGA VIDA AO ROCK AND ROLL!!!

Leia o artigo do Kid Vinil sobre o Dia Internacional do Rock: http://br.noticias.yahoo.com/s/13072009/48/entretenimento-rock-and-roll.html

Às vezes ando tão...

Blindagem: a melhor banda curitibana de rock do universo!

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Cheirinho de orégano...

10 de julho: dia para celebrar um marco da culinária ocidental. A redonda, cheia de queijo e outras delícias variadas, a italiana pizza (ou "piza", em Portugal), palavra que entrou de vez no vocabulário da nossa língua, gosto que ganhou o paladar de metade do mundo.

A pizza, filha dos "pães sírios" (o pão em forma de disco era presente em culturas antigas, como a egípcia, a hebraica e a grega), apareceu pela primeira vez entre os turcos, na Idade Média. Com as cruzadas, a delícia foi levada para Nápoles - considerada o berço da pizza. Dobrada, como um calzone, era o "prensadão" ou "dogão" daquela época: alimento barato, com ingredientes comuns - na época, queijo, toucinho e peixe frito.

Mas foi depois de Colombo chegar às terras dos índios pelados que a redonda ganhou mais vida. O tomate não existia no Velho Mundo: é típico da América Central - assim como a batata e o abacate. Com um tomatinho ali, na muçarela derretida, a pizza ganhou o mundo: no início, apenas em colônias italianas espalhadas pelos continentes. Depois, toda São Paulo, Nova Iorque inteira e, por fim, a civilização judaico-cristã-ocidental!

Desde os sabores tradicionais, como a muçarela e a calabreza, até os mais esquisitos, como a pizza de sorvete, a pizza ganhou uma variedade infinita de ingredientes e combinações, agradando os mais variados paladares.

Acabar em pizza... Que essa expressão perca a conotação criminosa. Afinal, aqueles que lutam para que "tudo acabe em pizza" não merecem nem a borda!

quarta-feira, 8 de julho de 2009

"New look"

O Rádio Gordo está de cara (não tão) nova!

Depois de muito tempo, resolvi mudar um pouco a forma como o blogue se apresenta a você, cara leitora e caro leitor. Aprendendo um pouquinho de CSS - espécie de "programação" que define o estilo das páginas de Internet, muito usada em blogues - e baseando-me num tutorial do Templates Para Novo Blogger, cheguei ao que está agora: uma coluna de postagem, duas colunas de bugingangas (ou "widgets", para quem preferir!).

Aproveitei o banho de butique para mudar o penteado: criei um cabeçalho novo, um pouco menos preguiçoso que o anterior, com uma sopa de letras ao fundo, expressando o caráter comunicativo e, por vezes, verborrágico do Rádio Gordo. Por enquanto, manterei as cores chamativas, porque gosto muito dessa combinação.

Então, sejam bem-vindos ao Rádio Gordo repaginado!

terça-feira, 7 de julho de 2009

"Sir" Ney

Enquanto o pop
é enterrado,
enquanto o Dantas
é acusado,
enquanto Obama
toma Orloff,
cultivo eu
o desejo
de ver aquele bigode
se queimar com
os marimbondos de fogo.

Fábio Pedro Racoski

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Igreja do Rosário dos Pretos de São Benedito

Ali, no Largo da Ordem,
está a Igreja do Rosário
dos Pretos de
São Benedito.

Nos tempos de antigamente,
A única onde os pretos
podiam entrar.
A única onde os pretos
podiam rezar.
A única onde Deus
podia morar
e encontrar
seu povo de verdade.

Fábio Pedro Racoski