Páginas

domingo, 21 de junho de 2009

Versos públicos

Vês!? Ninguém assistiu ao miserável
nascimento de tua primeira farsa.
Somente a solidão - a tua comparsa -
prestou-te companhia indispensável.

Acostuma-te ao vácuo que te espera.
Toda fera que, neste mundo novo
tenta soprar versos para seu povo
ganha silêncio, e versos de outra fera.

Toma o lápis. Acende a luz do quarto!
Digita versos, ruge ao que estás farto,
a voz que vomita também seresta.

Se a alguém tua presença incomoda, poeta,
põe teus versos em conexão direta,
vomita tuas cantigas e faz festa!

Fábio Pedro Racoski

4 comentários:

  1. adorei!!!!! Ainda mais pq sou apaaaaaixonada por Augusto dos Anjos!!! VC É TUDO DE BOM, FÁ!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, Fábio Pedro do Anjos... ou seria Augusto dos Racoski?

    ResponderExcluir
  3. Parafraseando o meu poeta preferido. Adorei. Saudades, Biofa! Beijos!!!

    ResponderExcluir