Páginas

sábado, 25 de abril de 2009

Susan Boyle: a feia mais bela

Amiga leitora, amigo leitor,

Você provavelmente já assistiu ao vídeo mais badalado do momento no Youtube: Susan Boyle, candidata no programa "Britain's got Talent", uma espécie de Ídolos do Reino Unido. Se não viu, acesse este endereço: http://www.youtube.com/watch?v=xRbYtxHayXo (respeitando uma solicitação do publicante, a incorporação do vídeo em outras páginas foi desativada).

Susan Boyle, uma mulher de 47 anos, aparentando mais, com um vestido pobre, cabelo mal cuidado. Feia. Nomeadamente feia, aos nossos olhos criados dentro de uma estética por vezes rígida. Carrega forte sotaque escocês caipira. Vive sozinha, com seu gato, nunca namorou. Disse ela que seu referencial na música é Elaine Paige, uma diva britânica da música e do teatro. E qual o espanto de todos quando Susan solta a voz para cantar...

Por quê? Quem disse que para cantar bem, precisa ter beleza, vida sexual ativa, roupas de grifes, cabelos sedosos e sombrancelhas finas? Se fosse assim, a música seria muito mais pobre. Nomes como Percy Sledge, Joey Ramone, Willy Nelson, tantos outros, não teriam vez no mundo musical?

O que espanta, nesse vídeo, não é Susan Boyle cantar divinamente. É nossa presunção em pensar que ela não poderia fazê-lo.

3 comentários:

  1. Concordo em gênero, número e grau... eu ia fazer um post sobre ela também... MAs acabei baixando, e mostrando para os alunos de filosofia para eles verem mesmo como grande parte da sociedade vive dentro da Caverna (como no mito de Platão).A cara de desprezo dos jurados e da platéia esperando por um espetáculo de vergonha alheia me deram ainda mais uma profunda tristeza pela condição humana. Poucas mentes são livres ... e as que são...bem... quase ninguém acredita.

    ResponderExcluir
  2. Como diria Vinícius, as feias que me desculpem, mas beleza é fundamental. Mas que beleza? Isso é tão subjetivo. Por outro lado, que nós humanos esperemos ver a desgraça alheia antes que ouvir uma linda melodia cantada por uma belíssima voz, só reforça o que somos... humanos.

    ResponderExcluir