segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Cantiga de maldizer de Fernand' Esquio

Idade Média era feita só de "trevas"? Nada de alegria, irreverência, arte? Eis aqui uma cantiga de maldizer medieval, composta por Fernand' Esquio:

A hũu frade dizen escaralhado,
e ffaz per[d]udo quen lh o uay diz[er],
ca pois el ssab arreytar de ffoder,
cuyd eu que gai [h]e de piss arretado
et poys enprenha estas com quen iaz,
ante lhe digu eu bem encaralhado.

Escaralh[ad]o nunca eu diria,
mays que traie caralho na rreyte
ao que tantas molheres de leyte
ten, ca lhe pariron tres em huũ dia,
et outras muitas prenhadas que ten;
et atal frade cuyd eu que muy ben
encaralhado per esto sseria.

Escaralhado non pode sseer
o que tantas ffilhas ffez en Marinha,
et que ten ora outra pestorinha
prenhe, que ora quer escaeçer,
et outras muytas molheres que ffode;
atal frade bem cuydo que pode
encaralhado per esto sseer.

Nesta cantiga, Fernand’ Esquio fala de um frade que muitas pessoas dizem ser impotente. O poeta, contrapondo-se ao que o povo diz, garante que o religioso não possui esse problema; muito pelo contrário: que engravida qualquer mulher que conhecê-lo biblicamente — et poys enprenha estas com quen iaz. Por isso o trovador assegura que o padre é viril (veja último verso da primeira estrofe).

Na segunda estrofe, o eu lírico refuta a idéia de o frade ter algum problema de virilidade argumentando com o fato de três mulheres terem dado à luz filhos seus num mesmo dia, além de outras que estão grávidas deste religioso. É o fato contra o boato, e no fato o trovador se apóia.

Na última estrofe, o poeta arremata sua tese apresentando um caso amoroso mais firme que o frade tem: Marinha ou Mariinha, a qual tem vários filhos dele. Ainda apresenta um caso amoroso antigo, que deixou rancor: "et que ten ora outra pestorinha / prenhe, que ora quer escaeçer". Além de todas estas mulheres citadas, o trovador afirma que há muitas outras com quem ele se relaciona, afirmando que, por estes fatos, ele assegura firmemente que o frade não é impotente. Muito pelo contrário: é virilíssimo.

Fonte:
Fábio Pedro Racoski. As cantigas satíricas e o retrato de um clero corrupto na Idade Média. 2004. 5 f. Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Orientador: Marcella Lopes Guimarães.

Para saber mais:
Resenha do livro "As cantigas satíricas": http://pt.shvoong.com/books/1618228-cantigas-sat%C3%ADricas/
Artigo da Wikipedia sobre o Trovadorismo: http://pt.wikipedia.org/wiki/Trovadorismo
Links do Wikisource para poemas trovadorescos: http://pt.wikisource.org/wiki/Categoria:Cantigas_de_esc%C3%A1rnio_e_maldizer
Esboço da Wikipédia sobre cantigas de Escárnio e Maldizer: http://pt.wikipedia.org/wiki/Cantigas_de_esc%C3%A1rnio_e_maldizer

0 comentários:

Postar um comentário