Páginas

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Amanhã

Amanhã eu vi o quanto é belo
o sol que vai se pôr
e comecei a dar valor
a todas as coisas
que me dirão
sobre como aproveitar a vida.

Amanhã ouvi a canção
que irão compor.
Como era bom ouvir
novamente
aqueles versos que alguém vai recitar!

Amanhã eu fiz
o que deveria ter feito
há muitos anos além:
pulei, cantei...
fui um palhaço
e todos rirão de mim.

Amanhã, finalmente
eu comecei a não me importar
com o que os outros vão pensar.
Já falarão tanto de mim
e eu falarei tanto dos outros
que não me incomodarei.

Amanhã eu tive
uma saudade tão grande
daquele momento...
daquele tempo que eu viverei
e não voltará mais.

Amanhã parei
de viver o ontem
e de pensar no passado
ensimesmado
e deslocado.
Estou fazendo
justamente
o contrário.
Fábio Pedro Racoski

Um comentário:

  1. Me fez pensar numa frase da Clarice, que fala mais ou menos assim "escrever é tantas vezes lembrar-se do que nunca aconteceu"...
    Gostei do poema !!!
    Sinto saudades...
    BEIJO!!!

    ResponderExcluir