Páginas

quinta-feira, 31 de julho de 2008

Endechas a Amy Winehouse

Amy, de olhos tão tristonhos,
Elegância deselegante.
Amy, canto dos meu sonhos:
noturna e idílica amante.

Da musa, corpo tatuado,
olhos negros de paixão,
boca sensual, voz de fado
e um copo de dor na mão.

Amy, de olhos dos meus sonhos,
Juventude tão escura...
Amy, canto tão tristonho:
Humanidade tão pura...

Cabeleira tão altiva
quanto a dor que há em seu peito.
Dor de solitária diva
incompreendida em seu jeito.

Amy, beleza perecível
que no meu peito, a arder,
será sempre indestrutível.
Ainda além do fenecer.

Amy, sonhos tão tristonhos,
Lágrimas na face bela.
Amy entre bobos risonhos
que esperam um sorriso dela.

Fábio Pedro Racoski

Um comentário:

  1. demais Fabio... Tarduziu... Ela é minha musa também. Trilha sonora das minhas noites frias...

    ResponderExcluir