Páginas

quinta-feira, 31 de julho de 2008

Endechas a Amy Winehouse

Amy, de olhos tão tristonhos,
Elegância deselegante.
Amy, canto dos meu sonhos:
noturna e idílica amante.

Da musa, corpo tatuado,
olhos negros de paixão,
boca sensual, voz de fado
e um copo de dor na mão.

Amy, de olhos dos meus sonhos,
Juventude tão escura...
Amy, canto tão tristonho:
Humanidade tão pura...

Cabeleira tão altiva
quanto a dor que há em seu peito.
Dor de solitária diva
incompreendida em seu jeito.

Amy, beleza perecível
que no meu peito, a arder,
será sempre indestrutível.
Ainda além do fenecer.

Amy, sonhos tão tristonhos,
Lágrimas na face bela.
Amy entre bobos risonhos
que esperam um sorriso dela.

Fábio Pedro Racoski

quarta-feira, 30 de julho de 2008

A mulher

Não existe nada no universo humano
mais complexo e mais simples
que a mulher.
Parece uma contradição,
mas isso é mais um paradoxo
que a coloca
mais próxima de Deus.

A mulher é completa.
A biologia prova isso.
O homem é metade mulher
em cromossomos.
Enquanto a mulher
é mulher por inteiro.
Talvez essa seja a origem
do machismo imbecil:
inveja!

A mulher é bela.
Não existe mulher feia
e, se alguém pensa o contrário
é porque viveu pouco.

Mas não falo da beleza
inventada em mármore ou plástico,
nas estátuas gregas ou no silicone;
a beleza feminina está bem longe de bisturis
e cosméticos:
ela reside num sorriso de mãe,
num olhar apaixonado,
num gesto tímido ou extrovertido
que só uma mulher consegue produzir,
seja ela branca, preta,
freira, velha, magra, gorda...

Sei que mais pieguices
serão escritas.
Sei que mais e mais
hipócritas e demagogos
juntarão enunciados sintáticos
muito bonitinhos.
Palavras somem,
a mulher permanece.
E isso basta.
Pois quem já experimentou
o amor de mulher,
mãe, filha, amiga ou amante,
sabe que somente isso basta.
E isso é tudo que um homem precisa
para ser mais homem:
viver o amor
de uma mulher
e deixá-la viver.

Fábio Pedro Racoski

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Divulguem, por obséquio!

Você, caro leitor deste blog (vocês três, aí!), peço encarecidamente que divulgue este humilde diário de um gordo polaco de cabelo comprido. O endereço existe há um tempo, já, mas foi reativado recentemente. Se lhe perguntarem "sobre o quê" é o meu sítio, diga que é um "blog de humor", "blog de opinião e poesia" ou, simplesmente, "um blog de um gordo maluco".

Obrigado pela atenção, fiéis leitores (ainda estão por aí?). Espero que me ajudem na divulgação deste blog pelo qual tenho tanto apreço!

Amiga é...

Uma mulher. Ou não...
O caso heterossexual de um homossexual excêntrico...
A mulher mais invejada e/ou odiada por sua esposa...
A nora que sua mãe queria...
A mulher mais perfeita para sua mãe (até ela se tornar sua namorada)...
Namorada de cinqüentão solteiro...
Eleitora de candidato populista...
Massagista...
Prima de saudosa memória pré-adolescente...
Na Idade Média, ficante...
Irmã...
Mãe...
Dentista...
Avó...
O grande amor da minha vida.
A vizinha de longas fofocas...
A cantora da igreja...
A aluna...
A professora...
O grande amor da minha vida.

Fábio Pedro Racoski