Páginas

sábado, 20 de julho de 2019

Ela quer todos

dizem os moços
que ela quer todos...

ela quer todos os ânimos,
ela quer todos os ares.
quer viver seus sorrisos
entre as ondas dos seus mares.

ela quer todos os risos,
ela quer todos os golpes.
ela quer matar a sede
de viver sem mais galopes.

dizem os moços
que ela quer todos...

todos vivem a querê-la
ou bem, ou zen, pra si mesmo...
mas de fato ela se quer
pra somar, e não a esmo.

na verdade ela quer todos
seus momentos cem por cento
e viver cada suspiro
puro, intenso, além do lento.

Fábio Pedro Racoski

Ela, o infinito

ela tem olhos
de dia que a gente
não quer esquecer.

ela tem um sorriso
de amores que a gente
quer muito viver.

ela tem vida
de um sempre que a gente
vive enquanto dura.

ela tem a si.
ela.
o infinito instante
que me faz sorrir
por viver nesse instante
o mesmo infinito.

Fábio Pedro Racoski

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Beira do mundo


sozinho à beira do mundo
não vejo mais o horizonte
de quando eu me abandonei
de quando me reencontrei
construindo minha ponte

sozinho à beira do mundo
não vejo mais minha ponte
do tempo em que me afoguei
do tempo em que me salvei
construindo o horizonte

sozinho à beira do mundo
já não sou mais o que sou
já não sou mais quem eu era
sou humano, sonho, fera
sou a dor que me magoou

sozinho à beira do mundo
sou muito mais quem eu sou
sou além de toda era:
a minha densa atmosfera
de poemas que sangrou.


Fábio Pedro Racoski

sábado, 7 de outubro de 2017

Queira-me livre


Queira-me livre.
Não me queira como sua
zona de conforto
como fim de filme
romântico
de braços abertos.
Quero correr junto
com você!
Queira-me livre.
Não aquela liberdade
de um só
mas a liberdade
que precisamos viver
juntos,
sem tirania, sem lágrima.
Queira-me livre.
Tão livre quanto eu te quero livre.
Sem mais
nem menos.
Sem medo
e com amor
até o fim
e sem procurar
por ele.


Fábio Pedro Racoski

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Em pedaços


foi de pedaço em pedaço
que construí minha vida,
louca, sem rumo, sem passo,
até cruzar com sua vida

e quis lhe dar de presente
meu pedaço mais quebrado,
porque nele você sente:
com você estou colado

mas meu sopro já não vive
e meu corpo sente falta
de pedaços que não tive
na sua estima mais alta.

só lhe peço, minha calma,
que me ajude a consertar
esses furos na minh'alma
com ou sem o seu doar.


Fábio Pedro Racoski

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Já não sei


já não sei
se sou
o que sou
o que fui
o que serei
ou quem eu sou
além do tempo
me cortar
as cordas das certezas.

já não sei
se estou
onde sou
onde estive
onde estarei
ou se não estou
neste lugar
que eu fiz
para estar.

as incertezas
do espaço
e do tempo
se acabam
quando
e onde
me encontro
no seu abraço.
Fábio Pedro Racoski

domingo, 11 de setembro de 2016

Às vezes

às vezes quase tudo cansa.
às vezes quase tudo não me ouve.
às vezes quase tudo não me enxerga,
não me sente,
não me questiona,
não me difere,
não me abraça.
quase tudo.
mas, para minha alegria,
tenho você, além do quase,
que faz a vida
valer a pena.

Fábio Pedro Racoski

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

2015

eu sou Rafael Braga
fuzilando seu ódio
com pinho sol
minha voz não se cala
por mais que sua morte
apague meu sol

eu sou estrangeiro
que sangra suor
por nosso Brasil
eu sou professor
que cura com giz
no 29 de abril

eu sou a mulher
que explode seu ego
já frágil e tirano
eu sou feminista
que incomoda seu ódio
de milhares de anos

eu sou estudante
que cuida da casa
e resiste à invasão
eu sou militante
que hasteia a bandeira
da revolução

eu sou o futuro
que você insiste
em eliminar da terra
eu sou a paz
que contra sua opressão
declara guerra.

Fábio Pedro Racoski

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Puta!

puta!

aquela mulher
que não respondeu
ao seu elogio
- que elogio? -
puta!

aquela mulher
que esteve com cem
ou com ninguém
como se pecado fosse...
puta!

aquela menina
que se descobre
e leva tapa na mão:
reeducação.
puta!

aquela mulher
que por não ser sua escrava
é puta.
aquela mulher
que por ser mulher
é puta.

a puta que te pariu,
a puta que me pariu,
a puta que te criou,
e chorou
e sangrou
e ergueu a cabeça
e lutou com a vida
contra o mundo,
contra tudo,
por ela,
pela vida,
por você.

ah... o que seria
do mundo
sem essas putas?
Fábio Pedro Racoski

(Imagem: "Columna rota", de Frida Kahlo)